O que uma colmeia pode te ensinar sobre as emoções

E como obter resultados disto.

Você já teve a sensação que a vida as vezes parece andar rápido demais como um carro de F1?

Ou ela anda devagar demais como um carro parado no trânsito?

Com estas idas e vindas, parece que algumas partes ou emoções dentro de nós costumam sempre reclamar que alguma coisa não está bem. É a falta de tempo, esquecimento das tarefas, preocupações diárias, etc. que ficam pulando na nossa cabeça.

Seja o tempo andando rápido demais ou devagar demais sempre há algo dentro de nós que costuma reclamar.

E o que uma colmeia de abelhas pode nos ensinar sobre como lidar com estas partes?

Vamos descobrir.

A colmeia:

Já parou para observar uma colmeia de abelhas, ou pelo menos imagina como uma se parece?

Vou fazer uma breve explicação.

Dentro de uma colmeia de abelhas há um sistema bem interessante funcionando, cada abelha dentro possui uma função:

  • Tem aquela que vai buscar o mel;
  • Tem aquela que recebe o mel;
  • Tem aquela que constrói a colmeia;
  • Tem aquela que protege o local também alertando de possíveis ameaças;
  • Tem até a tal da rainha, que costuma mandar em tudo;
  • Entre outras diversas funções, certo?

São diversas abelhas que constroem e compõe as várias partes da colmeia.

Bom, de fato o que temos é que todas elas juntas formam o que podemos chamar de sistema. E o sistema só funciona porque todas estão atuando em sincronia para que tudo dê certo.

Todas elas caminham para um único objetivo: deixar a colmeia segura e resistente a ameaças. O sistema é perfeito por si só. Cheio de conexões. Com cada abelha completando sua função com excelência. A colmeia só existe porque cada abelha existe.

Todas elas costumam trabalhar em conjunto. E elas costumam chegar em um lugar comum a todas elas. Este lugar comum nós chamaremos de resultado.

O resultado da colmeia em sua essência é garantir a sobrevivência de todo o sistema, certo? Embora existam diversos outros resultados menores, podemos dizer que esse é um dos mais altos, ao menos a natureza com uma breve observação parece funcionar assim.

A abelha rebelde

O que aconteceria se uma dessas abelhas ficasse rebelde? De repente, é como se ela não quisesse ou não entendesse bem o objetivo da colmeia.

Parece que aquilo não faz sentido.

Ela começa se sentir uma ansiedade ou depressão para chegar logo no tal resultado. Ou ignora totalmente ele e deixa de cumprir sua função. Imagine algo assim.

O que você acha que as outras abelhas do sistema irão fazer? Vou dar um segundo para você pensar.

Há uma lacuna a ser preenchida pela colega que não está executando sua função.

Eu lhe digo o que elas irão fazer:

  • irão se apertar;
  • criar pressão uma na outra;
  • talvez algum stress aqui e ali;
  • e por fim se readequar para tornar o sistema funcional de novo.

Claro, isso virá com um custo alto, obvio. Muito alto.

Elas irão se virar nos 30 para restabelecer toda a colmeia, afinal, o resultadomaior é a sobrevivência, certo?

Mas isso a um custo muito alto. Sempre muito alto.

Seria mais fácil e barato restabelecer a colmeia realinhando a abelha rebelde. Parece uma solução mais simples do que desalinhar toda uma colmeia e mexer em todas as abelhas para tapar um buraco deixado.

Mas como realinhar a abelha rebelde?

Realinhando

Uma boa estratégia para realinhar a abelha rebelde é compreender o seu incômodo. Mas não apenas compreender o ponto negativo, o que ela não quer. Precisa compreender o que ela quer. No positivo.

É mais ou menos assim:

  • precisa compreender o que a abelhinha quer;
  • depois, as outras abelhas podem ajudar a oferecer uma alternativa para o que a abelha quer;
  • as alternativas precisam ser positivas e não pode afetar negativamente a colmeia;
  • e por fim, integramos ela novamente em suas tarefas com um novo significado.

Desta forma, pouco a pouco a colmeia vai se tornando estável novamente. É isso que você leu mesmo, uma abelha auxiliando a outra e reintegrando todo o sistema, parte por parte.

Reintegrando com vitamina D.

Estabilidade

Ter uma colmeia estável é ter a capacidade de observar quando uma abelha não está caminhando rumo ao resultado. É compreender o que ela quer, oferecer alternativas, e integrar ela novamente. Realinhando suas expectativas.

Se elas sempre tentam se realinhar de uma forma e não tem o resultado esperado, elas podem testar outros tipos de alternativas.

Esse é o grande segredo. Uma parte ajuda a outra parte.

Qual será o resultado que ela obteve?